Inscrições

Curso sobre Constelação Familiar de Direito Sistêmico é realizado em João Pessoa

A Escola Nacional da Magistratura (ENM/AMB) realizou, em parceria com a Escola Superior de Magistratura da Paraíba (Esma), o curso “Constelação Familiar de Direito Sistêmico”, nos dias  21 e 22 de março, em João Pessoa (PB). A capacitação busca fazer com que o magistrado compreenda mais as leis naturais que regem os relacionamentos humanos, bem como ser capaz de uma atuação mais humanizada. 

A juíza Michelini Jatobá, integrante da Secretaria de Assuntos Institucionais da AMB e coordenadora do curso da ENM,  explicou que o direito sistêmico é um ramo que aborda vários aspectos do conhecimento e trabalha com informações da própria vivência do ser humano, numa visão mais ampla para a resolução dos conflitos. O tema, segundo ela, vem ganhando cada vez mais força na jurisdição nacional e a capacitação dos juízes em uma temática tão relevante e diferenciada foi possível graças a mais uma parceria exitosa da ENM/AMB com a ESMA/PB.

No primeiro dia foram abordados vários temas, como a utilização das constelações na vara de violência doméstica e análise e possibilidades de utilização do direito sistêmico nas varas de família (infância e juventude). 

Um dos palestrantes do primeiro dia, Jamilson Haddad, juiz da 1ª Vara Especializada de Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher de Cuiabá (MT) e um dos coordenadores da ENM/AMB, avaliou que a participação dos alunos foi muito efetiva. Na sua avaliação, cada vez mais os magistrados estão buscando a escola para melhorar a qualificação profissional e aprimorar a prestação jurisdicional. 

A psicóloga clínica do Instituto Vida Plena, Zilma Guimarães Watanabe, foi uma das palestrantes do segundo dia. 

Ela explicou que o curso de constelação familiar busca um olhar diferenciado para a saúde do magistrado.

“A iniciativa de trazer um curso de constelações familiares é extremamente importante, pois sendo este um método inovador mostra que, uma vez mais, a ENM sai a frente ao trazer uma temática ao debate de forma institucional e abre aos juízes brasileiros novas perspectivas”, afirmou a juíza  Sandra Silvestre (TJRO), atualmente auxiliando a Corregedoria do CNJ, que também integrou a equipe de formadores.

Na opinião da juíza Silvana de Freitas, do Tribunal de Justiça de Rondônia (TJRO), o magistrado aprende a ver além do processo com a constelação. “Conseguimos com as técnicas da constelação fazer com que as pessoas avancem no olhar em torno dos conflitos e situações que vivem, trazendo um pouco da responsabilidade para elas”. 

A magistrada Clara de Faria Queiroz, da 1ª Vara Mista de Araruna (PB), foi uma das mais entusiasmadas com o curso. Segundo ela, a formação possibilita o juiz a enxergar, com outros olhos, tanto o processo em si, como as partes que compõem o feito. “O magistrado deixa de fazer as coisas no automático e passa a ver o ser humano que está inserido no processo. Esse curso é uma modificação global na visão do magistrado”, opinou.

*Com informações da Esma Paraíba.

ENM conclui curso de Gestão Judicial em Brasília

Saiba Mais

Prorrogadas as inscrições para Seminário sobre Direito Militar na Grécia

Saiba Mais

ENM promove curso sobre Sistema Concursal Brasileiro

Saiba Mais

AMB participa do III Encontro da Rede Nacional de Cooperação Judiciária

Saiba Mais
Escola Nacional da Magistratura © 2018 | Todos Direitos Reservados
MENU